"...Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte
ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus..."

Apocalipse 14:9-10


Vídeos /


Categorias: Documentário

Sítios arqueológicos: Arca de Noé, locais da travessia do Mar Vermelho e Êxodo, Sinai, Sodoma e Gomorra, Gólgota, Sepulcro de Jesus, caverna da Arca da Aliança. Vídeo comovente e que faz lembrar a seguinte citação inspirada:

“E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus” (Êx 31:18). Nada que estava escrito nessas tábuas podia ser apagado. O precioso registro da lei foi colocado na arca da aliança e ainda está lá, seguramente escondido da família humana. Mas, no tempo designado por Deus, Ele apresentará essas tábuas de pedra, para serem um testemunho ao mundo todo contra a desobediência a Seus mandamentos e contra o culto idólatra de um dia de descanso falsificado (Ellen G. White em Ms 122, 1901). Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1223. Casa Publicadora Brasileira, primeira edição 2012.

Sobre a Arca de Noé, Kevin Fischer diz: A água que cobriu a terra no dilúvio foi de 2100 a 2450 metros de altura, e jamais poderia ter coberto a montanha vulcânica do Ararate. Esta portanto deveria ter surgido depois do dilúvio. Alguns alegam que haja várias formações como em Durupinar na região. Isto vem do programa “Answers in Genesis” e contêm uma foto que é total fabricação. Nenhuma formação na região contêm metal, madeira petrificada, tamanho exato e outras evidências.

Ron Wyatt pertencia, até sua morte, à Igreja Adventista do Sétimo Dia, gozando de bom testemunho dos irmãos.

Naturalmente muito perguntarão: “Creu nele porventura algum dos principais?” João 7:48. “Como em épocas primitivas, as verdades especiais para este tempo não se acham com as autoridades eclesiásticas mas com homens e mulheres, que não são demasiado instruídos nem sábios demais para crer a Palavra de Deus.” PJ 79.

Nota do produtor Kevin Fisher: Jesus foi tanto o cordeiro sacrificial como o bode expiatório do dia da expiação. O sangue deste último era aspergido sobre a arca. Como Jesus não poderia ser sacrificado duas vezes, o maravilhoso arranjo de Deus foi que Jesus morreu na páscoa e seu sangue aspergiu a arca da aliança.


Compartilhar
Curtir